Vamos Problematizar? | Personagens negros nos animes


Ter que escrever sobre racismo hoje em dia é uma coisa estranha, pois sempre aparece alguém para dizer que racismo não existe mais e invalidar as reivindicações sociais. Entretanto, basta uma pessoa reclamar da falta de diversidade em alguma série que aparecem várias outras falando “ah, mas vai assistir as séries x, y e z que lá tem gente negra”. Não irei discutir aqui se o que ele falou está certo ou não. O fato é que muitas pessoas ainda tentam invalidar a nossa luta com respostas desse tipo:

Clique para ampliar

O foco do blog é animes, mangás e cultura japonesa, mas acho que vale a pena abrir um pouco o espaço para falar de um filme: a adaptação de Death Note realizada pela Netflix, já que o anime/mangá é o xodozinho de muita gente. A produção, que irá ao ar no dia 25 de agosto deste ano no serviço de streaming, está chamando muita atenção dos otakus pelo fato de não ser uma totalmente fiel à original.

Quero deixar claro que concordo com algumas das questões levantadas pelo público, principalmente em relação a alguns personagens terem, aparentemente, perdido algumas de suas principais características (como o L não ser mais o cara que fica dentro de um local escondido, para não ser identificado). O personagem, interpretado por Keith Stanfield, parece ativo e vai para o meio da ação.


O que me deixa incomodado é que muitas pessoas reclamaram do fato do personagem ser negro. A produção da Netflix é uma adaptação da obra – a história não ocorre mais no Japão e sim nos Estados Unidos, onde cerca de 12,6% da população é negra. Portanto, é de se esperar que alguns personagens dessa nova adaptação sejam negros.

Além disso, uma grande parcela da população carcerária dos EUA é negra (cerca de cinco vezes mais que os brancos), por isso é muito bom que um personagem negro lute contra essa forma de justiça (feita pelo Light) que não é democrática. 

E também, já que as pessoas reclamam tanto de um personagem negro no filme, por que não reclamaram dos outros personagens serem brancos e não asiáticos?

Deixando um pouco de lado agora a série da Netflix, vamos focar no tema principal do blog: animes e mangás.

Antes de tudo, não adianta falar coisas como “ah, mas é o Japão, é a cultura deles, eles fazem as coisas pra eles mesmos”. Há anos que o Japão exporta animes, mangás, light novels para outros países. Agora, com os serviços de streaming (Crunchyroll, Netflix, entre outros), essa exportação só tende a aumentar. Algumas semanas atrás, a Netflix anunciou vários animes que irão fazer parte da plataforma.

O Japão é um país onde a miscigenação não é muito grande. Há poucos negros, comparado ao Brasil, por exemplo. Por isso, é comum a falta de personagens negros nos animes que se passam no Japão. Porém, quando o anime se passa fora, ou em até um universo da fantasia, existe um processo de embranquecimento ou uma representação caricata de personagens negros.

Um grande exemplo disso é uma das minhas séries favoritas, One Piece, que se passa em um universo fictício e mesmo assim quase não vemos personagens negros. O Oda é especialista em criar 999999 novos personagens, mas é difícil encontrar negros entre eles.

E de vez em quando a gente encontra desse jeito
Mas antes que queiram jogar pedras em mim, conheço o Usopp e sei que ele é um ótimo personagem. Mas o que estou querendo levantar aqui é que temos poucos personagens negros em papéis principais. Muitos morrem em um arco, um episódio.

Em Sailor Moon temos a Setsuna Meiou, a Sailor Pluto, que no mangá tem o tom de pele nitidamente mais escuro, porém no anime ela aparece com o tom de pele mais claro. Você pode ler mais sobre isso clicando aqui.


Outros exemplos são os personagens Mr. Popo de Dragon Ball Z e a Jynx de Pokemon com sua pele muito escura e os lábios super grossos. Claro que existem bons exemplos de personagens negros como a Yoruichi de Bleach. No entanto, se você parar para pensar nos animes que têm personagens negros como protagonistas, vilões, mocinhos, quantos surgem na sua cabeça? Agora personagens negros que não reforcem o estereótipo da black face ou outras representações pejorativas, quantos você consegue pensar? É difícil, né?

E quando a gente para pra pensar nas mulheres negras, essa diferença fica ainda mais evidente. Faça essa reflexão não só com animes/mangás pense também nos personagens negros dos livros, séries, filmes, quadrinhos e depois compare com  a quantidade de personagens não-negros nessas mesmas mídias e pense “será mesmo que estão exagerando quando reclamam da falta de representatividade?”.

Antes de finalizar, vou deixar aqui alguns personagens negros importantes.

Michiko Malandro, de Michiko to Hatchin
Yoruichi, de Bleach
Ed, de Cowboy Bepop

Bem, espero que o texto deixe vocês pensando um pouco sobre a retratação de personagens negros nos animes e o quão importante é falar sobre isso.



NELLIS, Ashley. The Color of Justice: Racial and Ethnic Disparity in State Prisons. Sentencing Project. Disponível em: <http://www.sentencingproject.org/publications/color-of-justice-racial-and-ethnic-disparity-in-state-prisons/> Acesso em: 22 de ago. de 2017