Especial | Os melhores animes de 15 estúdios diferentes - Parte 3

Nem acredito que finalmente chegamos a terceira e última parte deste especial! Escrever é um processo gostoso para mim, mas as fases de coleta de informação e traduções são realmente maçantes. De qualquer forma, espero que tenham gostado do especial e que eu tenha conseguido transmitir algum conhecimento para vocês! Nesta última postagem, abordaremos os estúdios Silver Link., Studio Pierrot, TMS Entertainment, ufotable e White Fox. Além disso, ao final, haverá uma seção reservada para menções honrosas (estúdios que não foram incluídos na lista, mas contribuíram com bons trabalhos ou demonstram certo potencial).



Fundado em 2007 pelo produtor da Frontline, Kaneko Hayato, inicialmente, após ter obtido sua independência com relação à empresa, o estúdio Silver Link. apenas trabalhava com cooperações e atuava como estúdio subcontratado. Entretanto, conforme seus negócios foram se expandindo, o Silver Link. passou a produzir séries próprias. Hoje, a empresa já conta com dezenas de títulos.

Com toda sinceridade, eu penso que o Silver Link. perde tempo demais investindo em ecchis quando eles claramente podem fazer coisas melhores (Kokoro Connect, Watashi ga Motenai no wa Dou Kangaetemo Omaera ga Warui!, Non Non Biyori). Na próxima temporada de verão, inclusive, eles serão os responsáveis por adaptar Isekai Shoukudou, que está gerando um certo hype e pode ser mais uma obra de qualidade do estúdio.

Creio que há a possibilidade de eles investirem em ecchis justamente porque se trata de um nicho de mercado onde sempre terá quem compre o material, mas ainda assim, penso que o estúdio poderia praticar um pouco a filosofia do A-1 Pictures ou da KyoAni de pensar fora da caixa. Por essas e outras, minhas escolhas para o Silver Link. são: 1) Kokoro Connect; 2) Tanaka-kun wa Itsumo Kedaruge; e 3) Tasogare Otome x Amnesia.

1) Kokoro Connect

Kokoro Connect conta a história de cinco estudantes do Colégio Yamaboshi que não conseguem se encaixar em nenhum clube existente da instituição. Por esse motivo, decidem criar a "Sociedade Cultural Estudantil" (SCE), que reúne Taichi Yaegashi, um fã hardcore de luta; Iori Nagase, uma otimista indecisa; Himeko Inaba, um gênio da computação; Yui Kiriyama, uma praticante de karatê baixinha; e Yoshifumi Aoki, o palhaço da turma.

Certo dia, Aoki e Yui passam por um incidente estranho: sem aviso prévio, eles trocam de corpos por um curto período de tempo. Conforme este fenômeno sobrenatural continua a ocorrer aleatoriamente entre os cinco amigos, eles começam a perceber que não se trata apenas de diversão. Forçados a se tornarem mais próximos do que nunca, logo eles descobrem os segredos uns dos outros e suas cicatrizes emocionais, que podem destruir a SCE e a amizade dos cinco.

A adaptação possui alguns aspectos interessantes. Por exemplo, ela conta com os dois principais diretores do Silver Link. (Kawatsura Shinya e Oonuma Shin); o responsável pela composição da série é Shimo Fumihiko (Air, Clannad); e o elenco de dubladores traz nomes como Sawashiro Miyuki, Itou Shizuka e Fujiwara Keiji. Além disso, o anime usa lugares de Yokohama como referência, em cooperação com a Comissão de Filmes de Yokohama e o Colégio Yokohama.

Acredito que Kokoro Connect fomente boas discussões, ainda que o drama seja excessivo em alguns momentos e acabe irritando um pouco o espectador (culpa do Fumihiko). É provável que a obra não agrade muito o pessoal mais velho (sei lá, adolescentes sendo adolescentes nem sempre é atrativo), mas para os mais jovens, eu diria que vale a pena dar uma olhada nos primeiros episódios.

2) Tanaka-kun wa Itsumo Kedaruge

Tanaka-kun wa Itsumo Kedaruge não é nada mais do que uma história sobre um colegial que é MUITO preguiçoso. A premissa pode não parecer interessante, mas eu garanto: pelo menos um dos personagens dessa obra vai se parecer com vocês. Quem gosta de comédia e slice of life, recomendo que dê uma chance. Quem não gosta, pode passar para o próximo porque não terá absolutamente nada de atrativo aqui.

De fato, os personagens de Tanaka-kun wa Itsumo Kedaruge são o ponto forte da obra - a sábia escolha de dubladores enriquece este aspecto. Particularmente a dupla principal funciona muito bem: Yoshimasa Hosoya como Oota e Ono Kensho como Tanaka. O que mais gosto aqui é provavelmente a atmosfera leve do anime, com um humor que funciona bem comigo.

3) Tasogare Otome x Amnesia

Eu costumo ser cagona com animes de horror, mas por algum motivo, decidi dar uma chance a Tasogare Otome x Amnesia. Devo admitir que não fiquei arrependida, já que se tratava exatamente do que eu não esperava.

Em resumo, a história se passa em um colégio particular onde já houve casos de assombrações por espíritos, incluindo o fantasma de uma garota chamada Yuuko. Por alguma razão misteriosa, um estudante do 6º ano, Teiichi Niiya, é a única pessoa que consegue enxergá-la. Yuuko não possui memórias da morte dela nem de quem ou o que causou isto. Yuuko e Teiichi criam então o "Clube da Investigação" para descobrir a verdade sobre a morte dela e sobre os outros mistérios da escola.

Apesar da atmosfera dark, Tasogare Otome x Amnesia é um anime engana-trouxa. Ele não dá medo - muito pelo contrário, tem boas cenas de humor e um romance bonitinho (ou pelo menos eu achei quando o vi anos atrás). Entretanto, a obra cumpre o que se propõe a fazer de início - desvendar os mistérios, e essa é a parte mais legal da coisa. Recomendo para quem curte animes com investigações relacionadas ao sobrenatural.




Fundado em 1979 por ex-funcionários do Tatsunoko Production, o estúdio Pierrot é conhecido principalmente por clássicos como Yuu Yuu Hakusho, vencedor do  Animage Anime Grand Prix Award em 1993, e pelas adaptações dos famigerados shounenzões de porrada como Naruto e Bleach. Embora o Pierrot tenha um capital de 428 milhões de ienes (R$ 12.664.520,00), de acordo com dados oficiais de 2012, ele é muito criticado por boa parte dos fãs devido a má qualidade técnica de suas adaptações. Tendo produzido centenas de títulos, assim como a Madhouse, eles já passaram pelas mais diversas demografias e gêneros. Sucessos recentes incluem Tokyo Ghoul e Osomatsu-san (que não é muito popular no Ocidente, mas possui uma fã base monstruosamente grande no Japão, alcançando incríveis 66 mil cópias vendidas, em média, por volume).

Em relação às minhas escolhas, ficarei com 1) Akatsuki no Yona; 2) Baby Steps; e 3) Soredemo Sekai wa Utsukushii.

1) Akatsuki no Yona

Akatsuki no Yona é meu shoujo preferido, portanto não é nenhuma surpresa que ele esteja nesta lista (inclusive falei mais sobre ele aqui). Fico triste, no entanto, porque somente 1/3 do material original foi adaptado para anime e os melhores arcos se desenrolam depois.

Em comparação com outros animes do estúdio, Akatsuki no Yona não vendeu exatamente mal (cerca de 2.7k, em média, por volume), mas este também não é um número que deixaria o Pierrot animado para fazer uma segunda temporada. Com isso, resta-nos ler o mangá (e eu sonho que um dia ele venha para o Brasil porque gostaria de colecioná-lo).

Quanto à história e os aspectos técnicos da obra, já discorri na minha recomendação do anime, por isso peço que os interessados acessem a postagem linkada acima.

2) Baby Steps

Apesar da animação horrorosa do estúdio em Baby Steps, mais o fato de que a venda dos BDs flopou MUITO (tipo, 100 cópias por volume), eu ainda diria que este é um anime que vale a pena ver por dois motivos:

a) é um anime de esporte que de fato leva o esporte a sério;
b) o protagonista é um cara metodológico que se desenvolve aos poucos de forma crível, utilizando uma estratégia que não é muito comum no gênero.

Algumas coisinhas me tiraram do sério, como o romance desnecessário, por exemplo, embora não receba muito foco, e certas falas machistas (que critiquei nessa postagem aqui). Como Baby Steps teve duas temporadas de 25 episódios eu não sei, mas definitivamente vale a pena dar uma olhada em ambas (acho a segunda melhor, inclusive).

3) Soredemo Sekai wa Utsukushii

Talvez meu julgamento esteja meio nebuloso por eu ter visto o anime anos atrás, mas shoujo misturado com aventura e fantasia é algo que me compra fácil (*cof cof* Akatsuki no Yona, Donten ni Warau *cof, cof*). Soredemo Sekai wa Utsukushii é uma hidden gem e merece mais amor.

A história do anime se passa no Reino do Sol, onde raios de sol fazem parte do dia a dia dos cidadãos e ninguém nunca sequer ouviu falar sobre a chuva. Entretanto, em uma terra distante chamada Ducado da Chuva, o clima é reverso, e todos os habitantes possuem o poder de criá-la com suas próprias vozes.

Livius Ifrkia conquistou o mundo todo e expandiu a influência do Reino do Sol em apenas três anos desde a sua coroação como Rei. Ao descobrir o poder de criar a chuva, ele decide se casar com Nike Remercier, uma das princesas do Ducado da Chuva. No entanto, estrangeiros que não fazem parte do Reino do Sol espalharam rumores dizendo que Livius é um governante tirano, cruel e impiedoso, e a fofoca chega à princesa, que começa a se preparar para o pior. Porém, quando finalmente conhece seu noivo, ela descobre que ele é uma pessoa completamente diferente do que esperava. 

Alguns detalhes importantes a ser mencionados são: a adaptação tem tanto um começo quanto final original, e embora a diferença de altura dos personagens seja ENORME, não tem nada de pedofilia, pois a Nike tem 17 anos e o Livius 15, por isso não se assustem. Soredemo Sekai wa Utsukushii pode não ter nada de muito especial, mas é uma boa pedida para quem curte um shoujo não tão convencional.




Fundada em meados de 1946, a TMS Entertainment era originalmente uma manufatureira têxtil. A empresa passou por algumas mudanças de nome, mas a mais importante foi a de 1991, quando foi trocado para "Kyokuichi" e eles passaram a se focar no entretenimento como negócio. Ainda em 1991, a empresa abriu seu primeiro centro de jogos (a AG Square); em 1992, a Kyokuichi foi comprada pela Sega Enterprises, se tornando uma subsidiária; em 1995, a Kyokuichi e outra subsidiária da Sega, a Tokyo Movie Shinsha, foram mescladas e deram origem à Kyokuichi Tokyo Movie. Com isso, a plataforma de animação foi estabelecida. Finalmente, em 2000, o nome da empresa foi mudado para "TMS Entertainment". 

A TMS Entertainment já participou do processo de criação, assim como também produziu, de centenas de animes, fazendo com que eles sejam um dos estúdios mais respeitados da indústria. Hoje a empresa detém um capital de 100 milhões de ienes (R$ 2.959.000,00) e emprega mais de 200 pessoas. Sua produção mais famosa, pelo menos aqui no Ocidente, é D.Gray-man, mas eles também são responsáveis pela adaptação de grandes clássicos como Detective Conan e Lupin III. 

Meus animes preferidos do estúdio são: 1) All Out!! (em parceria com a Madhouse); 2) ReLIFE; e 3) Yowamushi Pedal. Já falei sobre as três obras em oportunidades diferentes aqui no Rukh no Teikoku, então recomendo que confiram as seguintes postagens:

Primeiras impressões #01: Temporada de Verão - Julho (2016) - RELIFE
Primeiras impressões #02: Temporada de Outono (2016) - ALL OUT!!
•  Impressões Finais #02: Temporada de Outono (2016) - ALL OUT!!
TOP 20 | Os melhores animes de 2016 (estreias e continuações) - ALL OUT!! e RELIFE
Primeiras impressões #03: Temporada de Inverno (2017) - YOWAMUSHI PEDAL






Fundado em 2000 pelo ex-produtor do Tokyo Movie, Kondou Hikaru, o estúdio ufotable é conhecido principalmente pelas adaptações de Fate/Zero, Fate/Stay Night: Unlimited Blade Works e a saga de 7 filmes de Kara no Kyoukai. Fora esses projetos próprios, eles também já fizeram parte de centenas de outras produções como mão de obra terceirizada. Longe dos animes, eles são fortes na indústria de jogos (sobretudo com Tales of). A animação do ufotable é quase sempre acima da média, os cenários são de tirar o fôlego e eles produzem incríveis cenas de ação.

Quanto as minhas escolhas, acredito que elas não difiram dos três títulos que citei acima, embora eu ainda tenha 4 filmes para assistir. Espalhei muito amor por Fate/Zero no ano passado aqui no blog - basta clicar para conferir! Falei, também do protagonista, assim como do anime, de Fate/Stay Night: Unlimited Blade Works aqui. E sobre Kara no Kyoukai, preciso ver a saga inteira para redigir um comentário adequado, por isso vou me abster (mas adianto que adorei o que vi).




Fundado em 2007 por Iwasa Gaku, ex-membro do OLM, o estúdio White Fox é conhecido principalmente por ter adaptado os aclamados animes de Katanagatari e Steins;Gate, além da adaptação de sucesso recente de Re:Zero kara Hajimeru Isekai Seikatsu. Apesar de serem relativamente novos, já se destacam entre tantos outros estúdios justamente por escolherem ótimas Light Novels para adaptar.

Em relação às minhas escolhas, ficarei com: 1) Hataraku Maou-sama!; 2) Re:Zero kara Hajimeru Isekai Seikatsu; e 3) Steins;Gate. Sobre Re:Zero eu falei aqui e sobre Steins;Gate eu falei aqui, mas referente a Hataraku Maou-sama, discorrerei agora.

1) Hataraku Maou-sama!

Hataraku Maou-sama! (The Devil is a Part-Timer!) conta a história do Rei Demônio, Maou Satan, que está a apenas um passo de conquistar o mundo, quando ele é derrotado pela heroína Emilia. Forçado a ir para outro mundo - a moderna cidade de Tóquio -, ele se depara com uma situação levemente desesperadora. 

Como Rei Demônio, as únicas habilidades que ele tem dizem respeito a "conquistar o mundo", mas elas não se fazem necessárias a partir do momento em que ele não está mais em sua terra de origem. Inútil em um lugar onde a mágica não existe, o Maou Satan deve trabalhar (seja em meio período, seja fazendo tarefas domésticas) para pagar as suas contas e sobreviver nesse novo mundo. 

Primeiramente, devo dizer que continuo ansiosamente esperando a segunda temporada de Hataraku Maou-sama! (por favor, White Fox!). Em segundo lugar, a proposta desse anime é hilária e a execução definitivamente não desaponta. Como sempre, humor é subjetivo, mas recomendo para quem gosta de histórias de "Isekai" e também para quem gostaria de dar umas boas risadas.


MENÇÕES HONROSAS - ESTÚDIOS

TROYCA: Criado em 2013 pelo excelente diretor Ei Aoki, TROYCA produziu, em parceria com o A-1 Pictures, as duas temporadas de Aldnoah.Zero. Além disso, também adaptou Sakurako-san no Ashimoto ni wa Shitai ga Umatteiru em 2015 e está produzindo Re:Creators nesta temporada. Ei Aoki definitivamente possui bons contatos e, se for depender disso, o estúdio crescerá. [SITE OFICIAL]

WIT STUDIO: Fundado em 2012 por produtores do Production I.G, o WIT Studio é conhecido principalmente pelas adaptações de Shingeki no Kyojin, Owari no Seraph e Koutetsujou no Kabaneri. Com visuais interessantes, eles demonstram potencial, embora possuam uma fama de desonestidade entre os mais entendidos de animação. De acordo com a minha pesquisa, essa fama surgiu a partir do momento em que eles divulgaram PVs de alta qualidade de um certo anime (dando a entender que eram cenas já prontas que seriam utilizadas posteriormente na série). Contudo, a verdade é que o PV tinha sido animado de forma independente com antecedência somente para passar essa ideia. [SITE OFICIAL] 


POLYGON PICTURES: Fundado em 1983, o Polygon Pictures é um estúdio especializado em animação 3DCG. Sucessos recentes incluem Ajin e Sidonia no Kishi. [SITE OFICIAL]


ZERO-G: Fundado em 2011, o estúdio Zero-G trabalhou como equipe terceirizada até o ano passado, quando produziu seu primeiro anime: Battery. Embora a obra em si não tenha agradado muito, o aspecto mais positivo dela foi a animação. É fato que o Zero-G, apesar de novo, possui uma gama de animadores talentosos. Em 2017, outros dois animes do estúdio foram ao ar: Piace: Watashi no Italian e Tsugumomo, e na próxima temporada teremos mais um, o DIVE!!. [SITE OFICIAL]

TATSUNOKO PRODUCTION: Fundado em 1962 por Yoshida Tatsuo e seus irmãos Kenji e Toyoharu, o Tatsunoko Production é um dos estúdios mais antigos ainda em atuação. Sucessos recentes incluem Gatchaman Crowds e Ping Pong The Animation. [SITE OFICIAL]

LERCHE: Fundado em 2011, o Lerche foi responsável pela adaptação do mangá de sucesso de Ansatsu Kyoushitsu, dos animes de Danganronpa e recentemente do polêmico Kuzu no Honkai. Aventurando-se em diferentes gêneros, o estúdio também apresenta potencial. [SITE OFICIAL]

DOGA KOBO: Fundado em 1973, o Doga Kobo é um estúdio de pequeno porte que teve 70% de suas ações compradas pela TYO em 2006, tornando-se parte do TYO Group. Nessa época, Ishiguro Ryuu assumiu a posição de presidente do estúdio, tendo Ishiguro Iku (ex-presidente) como seu conselheiro. Entretanto, o TYO Group passou por uma reestruturação em 2009 e o Doga Kobo decidiu cortar os laços com a empresa, transferindo todas as ações para Ishiguro Ryuu. Hoje com um capital de 5 milhões de ienes (R$ 149.800,00), eles foram responsáveis por adaptações como Gekkan Shoujo Nozaki-kun, Plastic Memories e Himouto! Umaru-chan, além do meu queridíssimo Donten ni Warau. [SITE OFICIAL]

MAPPA: Por fim, temos o estúdio MAPPA, mais um fundado em 2011, que rapidamente conquistou os fãs de anime com a excelente animação apresentada em obras como Sakamichi no Apollon e Zankyou no Terror. Recentemente produziu o bombástico Yuri!!! on ICE, que mesmo depois de quase um ano do lançamento, continua rendendo rios de dinheiro para o estúdio. [SITE OFICIAL]