Tradução | Pesquisa aponta que 90% dos pais japoneses aceitariam seus filhos caso eles revelassem que são LGBTs


Aproximadamente 90% dos pais entre 30 e 59 anos de idade afirmaram que aceitariam seus filhos caso eles revelassem que são LGBTs, embora alguns tenham dito que ficariam um pouco relutantes, de acordo com uma pesquisa online.

O instituto de pesquisa LGBT Marketing Lab conduziu uma pesquisa entre os dias 8 e 11 de agosto, entrando em contato com 285 homens e 281 mulheres. Os 566 participantes vêm de todas as prefeituras, com exceção de Yamanashi.

De acordo com a pesquisa, 4,9% dos pais afirmaram que eles veriam a notícia como algo positivo, enquanto 18,4% afirmaram que eles ficariam chocados, mas superariam imediatamente.

Vinte e sete porcento disseram que seriam capazes de aceitar revelações desse tipo com o tempo e 38,9% acreditam que eles teriam que aceitar relutantemente uma realidade como essa.

No entanto, apenas 10,8% disseram que eles não seriam capazes de aceitar crianças lésbicas, gays, bissexuais ou transgêneras.

"A conscientização das pessoas está mudando gradualmente, um entendimento com relação às pessoas LGBTs está sendo passado através de informações que governos e empresas locais estão trabalhando para que tais pessoas sejam aceitas", um oficial responsável pela pesquisa disse.

O Instituto de Pesquisa LGBT do Japão, outro think tank, afirmou em junho que pesquisas conduzidas por eles sugeriam que 8% da população japonesa, ou 1 em cada 13 pessoas, pertence a uma minoria sexual.

Oficiais do LGBT Marketing Lab afirmaram que eles conduziram sua pesquisa antes do "Dia Nacional da Saída do Armário" em 11 de outubro, um dia de conscientização anual celebrado pela comunidade LGBT, porque os pais possuem uma influência importante sobre as crianças.

Quanto às razões para aceitar crianças que se identifiquem como LGBTs, 61,2% daqueles que afirmaram que os aceitariam disseram que isso não é algo que eles seriam capazes de mudar de qualquer forma, e 42,6% disseram que eles aprenderam através da mídia que há diferentes formas de sexualidade.

Praticamente metade dos pais que disseram que não seriam capazes de aceitar filhos LGBTs apontou como motivo suas preocupações de que crianças como essas teriam dificuldades no futuro, e 29,5% disseram que pessoas assim deveriam ter vergonha delas mesmas. Além disso, 21,3% disseram que eles acreditam que tais preferências sexuais são causadas por algum tipo de doença, e 13,1% disseram que eles acreditam que isso pode ser "curado".

O instituto afirmou que os resultados da pesquisa indicam que um entendimento melhor dessa questão afeta a disposição dos pais para aceitar crianças que se revelem como LGBTs.